Artigo em LaTeX


Atenção: O conteúdo desta página interessa há muita gente.
Contudo, todos querem fazer um copy-paste diretamente
desta página HTML, para um editor ASCII. Ai reside
o perigo.

Não pegue este exemplo diretamente. O mesmo está numa
codificação que pode não ser compatível com o LaTeX e o editor que voce
está usando. Para compilar o texto abaixo, veja formatação,
a codificação de caráctares de seus sistema, deste documento.
Não pense que tudo vai compilar diretamente como está aqui. Há vários
detalhes aqui OMITIDOS …
Estude bem LaTeX e seus pacotes, linux, e codificação de caráctares em editores, etc.

Estando ciente disto voce pode prosseguir. Alguns comentários abaixo
foram decorrentes de pessoas que fizeram um copy-paste as cegas!

\documentclass[11pt]{article}
\usepackage[latin1]{inputenc}
\usepackage[brazil]{babel}
%%\usepackage{fancyhdr}
\usepackage{amsmath}
\usepackage{amsfonts}
\usepackage{amssymb}
\usepackage{url}
\usepackage{graphicx}
\usepackage[normalem]{ulem}
\usepackage{float}

\topmargin -1cm
\headheight 2cm
\headsep 0.5cm %% separa cabec do texto
\textheight 24cm
\textwidth 16.3cm
\oddsidemargin 1mm
\evensidemargin 1mm
\baselineskip -13pt

\pagestyle{empty}
\newcommand{\keyword}[1]{\textsf{#1}}

\newcommand{\ccs}{Claudio Cesar de S\’a}
\newcommand{\logcc}{\hbox{C\kern-.222em\lower.90ex\hbox{C}\kern-.145em S}}

\restylefloat{figure,table}

\begin{document}

\title{DICAS PARA A ELABORAÇÃO DE ARTIGOS COM QUALIDADE\footnote{A home-page de onde tirei
este material: \url{http://www.inf.ufsc.br/~cislaghi/writing/Sobre_o_IEC_Writing_Center.htm}.
Estou formatando para \LaTeX apenas para os estudantes irem se orientando de como e o quê escrever.Assim, me isento de responsabilidade sobre o conteúdo deste texto. Dúvidas: Claudio Cesar de Sá (claudio@joinville.udesc.br)}
}

\author{FernandoSouza Oliveira \\
Clovis Torres Fernandes \\
Vera Lúcia Romeu Junqueira \\
ITA – Instituto Tecnológico de Aeronáutica \\
}

\maketitle

\begin{abstract}

* O objetivo do resumo não é servir de introdução ou de apresentação do conteúdo na ordem em que eles aparecem.
* É um parágrafo composto de frases coerentes com os objetivos pretendidos e as conclusões alcançadas no artigo; agregar, sem sobrecarregar demais, todo o tipo de informação nova, mas relevante, que contenha o artigo.
* Quanto ao conteúdo, o resumo deve incluir, de forma detalhada mas sucinta, os resultados e conclusões do artigo, ajustando-se ao espaço a ele destinado. Deve, adicionalmente, indicar dentre limites, todo tipo de informação nova, mas relevante, que contenhas o artigo. (Idem parágrafo anterior!!!!!)
* O resumo tem duas finalidades principais:

* Proporcionar aos leitores informações suficientes que lhes permitam julgar se é conveniente fazer uma leitura aprofundada do texto.
* Acelerar a atividade dos serviços de uma biblioteca ou de rede de prestação eletrônica de serviços bibliográficos.

* Recomenda-se um resumo com 200 a 250 palavras, respeitando os limites impostos pela publicação.

* Não deverá conter dados ou considerações que não figurem no corpo do artigo nem detalhes de interesse secundário.

* Um resumo deve ser auto-explicativo: evitam-se referências a seções, figuras ou tabelas ou outras partes quaisquer do corpo do artigo.

* O texto do resumo não deve ser escrito na primeira pessoa, pois no resumo não é o autor quem fala.

* Qualificar o modo como foram tratados os diversos aspectos do assunto com adjetivos como sucinto, detalhado, teórico, experimental, etc.

* Deve-se evitar abreviaturas, símbolos, etc., a menos que sejam de uso generalizado.

* Qualquer que seja o idioma em que esteja escrito o artigo original (exceto inglês), recomenda-se publicar o resumo também em inglês, para facilitar sua difusão internacional.

* Esquema sugerido:

* Descreva o mundo atual, sem o resultado do artigo [opcional]
* Descreva o resultado do artigo (sua contribuição e resultados)
* Descreva o mundo com o resultado do artigo. [opcional] após o seu resultado.

\end{abstract}

\keyword{Palavras-chave – nesta linha}
* Facilita os serviços de indexação do artigo numa biblioteca visando recuperação.
* Inclui 4 ou 5 palavras-chave.
* De acordo com o veículo de publicação, as palavras-chave podem ser escolhidas livremente ou de acordo com um vocabulário controlado.
* Iniciar pelo assunto principal, prosseguindo pelos assuntos específicos.

\section{Introdução}
* Um leitor deveria obter a idéia principal do artigo pela primeira página, ou seja, pelo resumo e pela seção introdutória.
* Deve, de preferência, receber um nome diferente de Introdução, que focalize a área de estudo. Deve explicar adequadamente o problema, para o qual se deve apresentar uma solução.

\subsection{Uma Possível Estrutura do Corpo do Artigo}

Uma possível estrutura e conteúdo:

[Segunda seção: material de apoio ao entendimento]
[Terceira seção: descreva sua solução/modelo/método]
[Quarta seção: Apresente argumentos de que sua solução/modelo/método
resolve o problema e vários aspectos foram considerados.]
[Quinta seção: O que os outros fizeram na área do problema/solução]

\section{Corpo do Artigo}

* Apresente seu caso de modo que ele não possa ser mal compreendido.
* Pense em sua audiência como inteligente mas ignorante de seu tópico e dado a obstinado desentendimento.
* Assegure-se que as idéias chave sejam declaradas de forma transparente, bem ressaltadas e muitas vezes.
* Não enfie diversas idéias importantes em uma sentença com o uso sutil de adjetivos.
* Não assuma que quaisquer idéias chaves sejam muito óbvias para dizer.
* Diga o que você vai dizer, diga-o e, em seguida, diga o que você acabou de dizer.
* Conte uma estória. Seu artigo deveria apresentar um argumento que você está antecipando, para o qual sua pesquisa fornece evidência.
* Assegure-se que conhece esta estória. Faça um resumo dela em poucas palavras num papel/ou a um amigo verbalmente.
* Esteja certo que a estória esteja refletida no título, no resumo, seção introdutória, corpo do artigo, conclusão e referências bibliográficas.
* Buscar constantemente a opinião alheia sobre o nosso próprio trabalho. Só assim conseguiremos crescer como escritores técnicos escrevendo com qualidade cada vez melhor!
* Não tente dizer muito em um artigo. Fixe-se na estória principal e somente inclua o que for essencial a ela. Guarde o resto para um outro artigo.
* Estruturar o texto (alternativa):

* Começar sempre dando um resumo do que o texto vai conter, preferencialmente na forma de lista – isto define a estrutura principal.
* Desmembrar os itens de lista complexos em novas listas, se necessário (subnível da hierarquia).
* Apresentar e discutir os assuntos na ordem apresentada nas listas e sublistas.

* Preparação/planejamento do texto básico inicial, a ser feito antes da fase de escrita propriamente dita:

* Define-se quantos e quais os capítulos (seções) devem aparecer.
* Define-se o conteúdo de cada capítulo (seções).
* Define-se quantos e quais subseções devem aparecer.

* Não escreva períodos curtos demais.

* Desenrole períodos com lista implícita, transformando-o em lista explícita.

Ex.: ” A linguagem, poderosíssima, descrita neste manual, permite controlar a cor e o brilho dos caracteres e do fundo no vídeo, a impressora dá recursos para manipulação de mensagens, edição de valores numéricos e alfanuméricos e, ainda, para tratar as interrupções de teclado”.

Problemas: 42 palavras, informações independentes.

” A linguagem aqui descrita permite o controle do seguinte:

* Impressora.
* Cor e brilho de caracteres e fundo no vídeo.
* Mensagens de orientação, aviso e erro.
* Edição de valores numéricos e alfanuméricos.
* Interrupção de teclado.”

* Use voz ativa, não passiva.

* Não ponha excesso de informação no período.

* Evite períodos complexos.

* Evite palavras desnecessárias e difíceis. (O propósito deste artigo… O sistema basicamente… subsequente = seguinte, mormente = principalemente)

* Voz passiva:

” Só após ter ouvido o beep longo, que indica terem sido terminados, com êxito, os testes de inicialização, o usuário terá o teclado liberado para entrada de comandos.”

* Voz ativa:

” Ao fim dos testes de inicialização, se tudo estiver bem, o micro emite um beep longo. Após ouví-lo você pode atuar a partir do teclado.”

* Quebre as frases complexas e/ou com excesso de informação. Encadeie com ” Por isso”, ” além disso”, etc.

* Veja se não dá para usar um ponto onde está pensando em usar vírgula.

* Imite a maneira usual de se falar. O resultado é sujeito e verbo juntos.

* Se precisar de frase longa, ponha o sujeito e o verbo juntos.

* Evite negativas mútiplas:

” Nenhuma causa é válida, a não ser que aprovada pela empresa.”
” Ele não está ausente.”

* Evite frases ambíguas ou que dêem margem a interpretações errôneas.

* Não use gíria e expressões idiomáticas.

\subsection{Sobre Listas}

* Uma lista é um dispositivo usado na escrita para separar a informação em partes lógicas, visando compreensão mais fácil do texto por parte do leitor; ajudam os leitores a lembrar das informações mais facilmente visto ajudá-lo a fatiar a informação.
* Listas oferecem estes benefícios:

* Elas organizam a informação.
* Elas mostram relacionamentos entre pedaços de informação, tal como se os itens de lista seguem uma sequência.
* Elas condensam informação e fazem-na mais acessível ao leitor por apresentá-la em grupos altamente legíveis ao invés de enterrada dentro de um parágrafo.
* Elas eliminam redundância tais como palavras repetidas usadas para criar sentenças de estrutura paralela.

* Tipos de listas:

* Listas numeradas: usadas para mostrar uma sequência (os itens seguem uma dada ordem).
* Listas por pontos (bolinhas pretas): itens na lista têm a mesma importância
* Lista em hierarquia (sublista): usadas nos casos em que existem mais itens de lista ou para desmembrar algum item de lista complexo. Concentrar itens de lista em categorias: até 5 itens – bullet; até 10 itens – numerada.

* Itens de lista devem iniciar com letra maiúscula.

* Itens de lista devem fechar com ponto se formarem sentenças completas. Caso contrário, nenhuma pontuação deve ser usada.

* Uma sentença que antecede uma lista deve ser uma sentença gramaticalmente completa e vir seguida de dois pontos.

* Não recomendável: ” The conclusion reached are” (aqui não deve ser colocado “:”).

* Recomendável: ” The following conclusions were reached:”
” The conclusions of the study are listed below:”

* Roteiro para escrever listas compreensíveis e usáveis:

* Escolha o tipo de lista mais apropriado.
* Mantenha os itens de lista em um número gerenciável (<= 5 – bullet, <= 10 – numbered).
* Use sublistas quando itens de lista excederem o número recomendado.
* Use pontuação e letras maiúsculas de forma consistente para máxima compreensão.

\subsection{Sobre Figuras e Tabelas}

O que é uma figura? Objetivo?

* Definição e títulos

exemplo

Figura 1 – Título
Tabela 1 – Título
* Referência: A Figura 1 ….. A Tabela 1 ….. Referências a figuras/tabelas devem vir com letra inical maiúscula.

* Se a figura/tabela foi emprestada ou adaptada de outra obra, quando permitido, referenciar diretamente no título da figura, entre parênteses, ou referenciar no texto que cita a figura.

* Uma figura/tabela deve ser usada para apresentação mais rápida clara e mais exata de informações em relação à mesma informação escrita.

* No entanto, uma figura, por mais autoexplicativa que seja, demanda explanações e explicações adicionais no texto, ligando e conctando-a com o assunto em pauta.

* Figuras e tabelas devem ter um uso funcional: devem ajudar ao leitor a compreender o assunto ilustrado e nunca ser incluidas apenas para enfeirar o artigo.

* Tente manter um estilo e leiaute uniformes para cada tipo de ilustração; seja consistente quanto a pontos de formato e detalhes ao longo do trabalho.

* Numeração: comece de 1 e vá em frente. Tabelas e figuras têm numeração distinta, ambas começando em 1.

* Uma tabela/figura deve ser, na medida do possível, completa e autoexplicativa, de forma a não ser necessário recorrer ao texto para entender a ilustração.

* Todos os itens da figura/tabela deve apoiar ou amplificar ou exemplificar o texto e o texto pode (deve!) discutir, interpretar ou tirar conclusões da figura/tabela.

* O fato de ser autoexplicativa e fácil de entender não implica que o que se pretende ilustrar na figura/tabela deva ficar sem uma explanação adicional, conectando-se ao texto segundo a sua intenção: ao colocar a ilustração explicar, exemplificar, usar para comparação,etc.

* É errado fazer referências do tipo: ” Para maiores detalhes, vide figura 12 ” pois isto transfere o leitor a tarefa de entender a figura e conectá-la ao assunto do texto. É usual indicar sua significância ao referenciá-las. De fato o erro é duplo:

* Dá mais trabalho ao leitor.

* Pode levar o leitor a fazer ilações que não eram imaginadas pelo autor, quebrando a unidade do trabalho feito. Pode levar o leitor a alguma confusão se a significância da ilustração no texto não é imediatamente evidente. Você sabe o que você quer que o leitor leia, então diga explicitamente.

* Mantenha as ilustrações simples, eliminando material desnecessário que não contribui com nada para compreensão do assunto de acordo com a finalidade planejada para a ilustração.

* Numeração:

* Figuras/tabelas em apêndices: a numeração segue o apêndice, cuja letra deve anteceder o número: Figura A-1, Tabela B-3.

* Tabelas:

. numeração pode ser com números ou algarismos romanos.
. número e título podem ser colocados em cima da tabela (neste caso, normalmente centralizados) ou embaixo da tabela (na forma usual de figuras).
Ex.:

Tabela II

Título ………………………….. (não muito longo)
% Tables and figures can be labeled for cross referencing, but
% the \label must come after the \caption.

\begin{table} [H]
\begin{center}
\caption{Grades earned by political leaders}
\label{grades}
\begin{tabular}{|l|c|c|} \hline
Last Name & Score & Letter Grade \\ \hline
Clinton & 95 & A \\ \hline
Dole & 95 & A \\ \hline
Gingrich & 95 & A \\ \hline
\end{tabular}
\end{center}
\end{table}

* O título de uma ilustração deve ser conciso mas dizer ao leitor exatamente o que está sendo ilustrado e, sempre que cabível, o que é para compreender da ilustração. Ou seja, deve ser significativo. O leitor pode se interessar por uma ilustração ao ver o título dela numa lista de ilustrações.

* Colocar no texto:

* Uma figura/tabela deve ser colocada o mais próximo possível do texto que a referência, de preferência no topo da página.
* Deve vir sempre após o local da primeira referência.

* Tabelas – definição: meio conveniente de apresentar quantidades de informação relacionada de forma compactada.

* Figuras/tabelas: quebram a monotonia do texto escrito e ativam o lado direito do cérebro (da imaginação).

* Ao usar gráficos, desenhos, figuras e tabelas, não deixe de interpretá-los, conectando-os ao assunto em pauta.

\section{Conclusão}

* Deve apresentar as conclusões tiradas do trabalho desenvolvido e apresentar sugestões de trabalhos futuros e problemas ainda não reslovidos.
* Esta seção deve iniciar com uma breve sentença introdutória amarrando a seção com o problema declarado na introdução, se ou não o problema inteiro foi resolvido.
* É desejável acrescentar uma sentença ou duas sobre tais limitações (se não resolvido por inteiro), como por exemplo pelo método usado ou pela amplitude do estudo.
* Conclusões devem ser escritas de maneira a ser compreensível para alguém que não tenha lido o corpo do trabalho.
* Conclusões específicas são apresentadas no tempo passado: coisas foram achadas…
* Conclusões mais gerais no tempo presente: elas deveriam ser feitas e o que acontecerá se forem.
* Como regra geral, não inclua argumentos na declaração de uma conclusão. Se argumento ou justificativa é necessária, ela deveria estar em texto precendente ou em discussão que acompanhe a conclusão.
* Não inclua material novo nas conclusões: todo material do qual conclusões e recomendações são derivadas deveria estar no corpo do artigo.

\end{document}

Anúncios

25 comentários em “Artigo em LaTeX

    • Isis:

      A questão das eferências bibliográficas e numeração automáticas é para os “full-latex”, eventualmente,
      alguém ler este texto e não ser usuário LaTeX. Contudo, obrigado por terem lido e dado um feedback.
      Pensei que ninguém lesse blogs. Eu leio alguns que Google acha com minhas dúvidas. Asseguro que
      em geral alguém já passou pelas minhas dificuldades. Isto é compartilhamento de conhecimento e viva
      ao acesso livre dela. Gere-a e consuma-a.

  1. Claudio:
    Ótimo artigo… a Psicologia, de uma forma geral mas especialmente no campo da psicoterapia, é pouco objetiva no escrever, até por sua importante raiz clínica. Artigos como este norteiam escrita e raciocínio. Será recomendado na orientação da pós-graduação do Instituto. Aguardamos novidades. Juliane.

    • Artigos cientificos sao diferentes dadas as questoes de cada area.
      Contudo, o metodo cientifico, jah estudado por Descartes em 16xx,
      é quase que unico. Logo, o texto acima tirei de um quimico,
      reciclei para computacao, agora vai para psicologia.

      Bom uso

      claudio

  2. Estava pesquisando latex no Google e cai no seu site.
    Estou pesquisando uma maneira de certificar que um produto seja isento de latex e gostaria de saber se voce pode me ajudar. Muitos produtos no mercado trazem o apelo isento de latex, porem, nunca vi um laudo certificando que realemnte é isento de latex. Será que o senhor poderia me ajudar e me indicar aonde posso realizar uma certificação de que determinado produto é realmente isento ?
    Grato
    Fernando

  3. Prezado Cláudio eu copiei o seu texto latex e salvei para executá-lo na versão 2.9 que baixei recentemente. Entretanto não estou conseguindo gerar o pdf. Depois de compilá-lo ele não apresenta erros nem avisos, mas não gera o pdf.
    O aviso que vejo nos comentários da compilação é:
    (“c:\Program Files\MiKtex 2.9\tex\Latex\graphics\graphics.sty”
    (“c:\Program Files\MiKtex 2.9\tex\Latex\graphics\trig.sty”)
    (“c:\Program Files\MiKtex 2.9\tex\Latex0miktex\graphics.cfg”)
    (“c:\Program Files\MiKtex 2.9\tex\Latex\pdftex-def\pdftex.def”))) pdflatex.exe: GUI framework cannot be initizlized.

    I couldn’t open file name ‘E: Pasta\Latex\paperteste nor E:\ Pasta\Latex\paperteste.idx.
    Usage: C\Program Files\MiKtex 2.9\miktex\bin\miktexindex.exe

    Latex-Resutl: 0 Error(s), 0 Warning(s), ) Bad Box(es), 0 Page(s)

    • Jordanioi:

      Por favor seja especifico. Indique onde estão os
      erros que terei o prazer em arrumar.

      O seu é o primeiro comentário desta natureza que recebo, logo,
      especifique, não adianta falar simplesmente: “está errado e pronto !!!”

      Isto é um blog, livre por natureza, escreve quem quer, idem quanto
      a leitura.

      Aguardo seu retorno

      claudio

    • Basicamente quando compilas o latex …. JÁ PRONTO
      PARA REFS BIBS …. voce terah que executar o
      Bibitex esye pgm vai pegar o .aux e grrar o .bbl e o .blg
      Mais duas compilacoes … e a referencia cruzada terá
      Sido feita. São aluns detalhes do meu tablet …. demora muito para digitarrrrrr fui!!!!!

  4. Olá,
    estou aplicando uma disciplina de Química Geral na universidade e buscava um artigo para ajudar. Realizei algumas modificações no exemplo acima para ele gerar um arquivo parecido com um periodico de química (Química Nova). Gostaria de saber se existe algum problema? e além disso solicito a autorização para a utilização do seu material.
    Obrigado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s