Instalando um Linux de um Pendriver – USB

Motivaçao: seu computador nao tem conexao de rede ou leitor de CD/DVD
Solucao: existem varios esquemas para fazer um boot a partir de um pendriver
Algo que achei simples para windows e linux: instalem o UNetbootin
Onde tem tudo: http://unetbootin.sourceforge.net/ ( UNetbootin Veja ai a pagina do UNetbootin ………. )
Tudo devidamente explicado. Como jah precisei disto varias vezes ….
Do dia … a unica dificuldade do linux é saber quais comandos e aplicativos fazem o que ….

Anúncios

Redimensionando o tamanho de fotografias

  • Cuidado ao fazer copy-paste dos scripts abaixo. Caracteres
    com outra codificaçao, pode levar a erros na execuçao.

    Tive problemas com isto, logo vai o alerta …

  • Para redimensionar o tamanho de fotografias, apagando as originais, este script funciona bem:

    Basicamente é usar o convert (vale a pena estudar), que faz um monte de coisas:

    Geometry/Resize/Size/Thumbnail: estes quatro comandos executam basicamente a mesma ação, redimensionam o tamanho da foto.

    $ convert -geometry 640x480 foto_source.jpg foto_dest.geometry.jpg
    $ convert -resize 640x480 foto_source.jpg foto_dest.resize.jpg
    $ convert -size 640x480 foto_source.jpg foto_dest.size.jpg
    $ convert -thumbnail 640x480 foto_source.jpg foto_dest.thumbnail.jpg

    Hà vàriaçoes para as 04 opçoes acima, explore-as e me retorne.


    #!/bin/bash
    echo "Converte imagens jpg para o formato 640x480 (or 480x640)"
    echo " APAGANDO as fotos ORIGINAIS "
    for i in *.jpg ;
    do
    convert -size 640x480 $i $i ;
    # convert -resize 480x640 $i $i ;
    echo "Resized image $i created. ==> OK" ;
    done

  • para rotacionar uma foto:
    convert -rotate 90 entrada.jpg saida.jpg
    pode ser -90 conforme o caso

  • Sem apagar os originais, copiando num diretorio temp:


    #!/bin/bash
    echo "Converte imagens jpg para o formato 640×480 (or 480×640)"
    echo " APAGANDO as fotos ORIGINAIS "
    mkdir temp
    for i in *.jpg ;
    do
    convert -resize 640x480 $i temp/$i ;
    # convert -size 480×640 $i temp/$i;
    done
    echo "Resized image $i created. ==> in temp OK" ;

    Melhorando a versao acima:

    #!/bin/bash
    echo "Converte imagens jpg para o formato 640×480 (or 480×640)"
    mkdir temp
    for i in *.[jJ][pP][gG] ;
    do
    convert -resize 640x480 "$i" temp/"${i%.[jJ][pP][gG]}_640x480.jpg" ;
    # cuidar com o x em 640x480 do utf8
    # convert -size 480×640 alternativo
    echo " ... converteu: " $i
    done
    echo "Resized image $i created. ==> in temp OK"
    ls -l temp/*.jpg

  • No linux o programa imageclik, traz o comando convert é utilizado para quase tudo.
  • Alterar Tamanhos de Arquivos PDF

    Para quem trabalha com LaTeX visando um documento final em pdf, as vezes deseja economizar pàginas na hora de imprimir. Tem dois programas muito versàteis: pdfnup e pdfjoin. Os passos:

    1. Instalar o pacote pdfjam: apt-get install pdfjam
    2. Uma vez gerado o seu arquivo.pdf, entao redimensione como queira. Alguns exemplos:

    pdfnup –nup 2×2 arquivo.pdf (gera um default de 4 paginas por folha)
    pdfnup –nup 2×2 –delta “-3cm -3cm” –scale 1.1 –offset “-1cm 0cm” arquivo.pdf (gera um arquivo de 4 paginas por folha, com opcoes de margens)

    Outro exemplo que ajustei no braço:
    pdfnup –nup 2×2 –delta “-2.0cm -2.7cm” –offset “0.4cm 0.2cm” –scale 1.15 Handbook_of_Constraint_Programming.pdf

    3. Visualizar no xpdf ou evince para ver como ficou

    4. Enfim, man pdfnup para ver tudo direitinho como funciona (algo que nao fiz ainda!)

    Recuperando a Tabela de Partições

    Antes de instalar ou testar algum software, tenha certeza que tens back-up de seu sistema. Caso nao tenha
    espero que nao precise passar pelo sufoco que passei hoje (27/01). Por algum motivo, o meu HD externo de back-up perdeu a sua Tabela de Partições. O nome jah diz o que eh, e o apavoramento foi normal, até encontrar um salvador: gpart.
    A mensagem de erro é esta:
    sdb: unknown partition table
    Os passos de recuperaçao basico sao:
    1. apt-get install gpart
    2. gpart /dev/sdb
    Confira se o que ele conseguiu detectar é o querias. Vale rezar e torcer muito ….
    goedel:/home/claudio# gpart /dev/sdb

    Begin scan…
    Possible partition(ReiserFS filesystem), size(30678mb), offset(1mb)
    Possible partition(Windows NT/W2K FS), size(79603mb), offset(34867mb)
    End scan.

    Checking partitions…
    Partition(Linux ext2 filesystem): primary
    Partition(OS/2 HPFS, NTFS, QNX or Advanced UNIX): primary
    Ok.

    Guessed primary partition table:
    Primary partition(1)
    type: 131(0x83)(Linux ext2 filesystem)
    size: 30678mb #s(62830080) s(4095-62834174)
    chs: (0/65/1)-(1023/254/63)d (0/65/1)-(3911/62/54)r

    Primary partition(2)
    type: 007(0x07)(OS/2 HPFS, NTFS, QNX or Advanced UNIX)
    size: 79603mb #s(163027616) s(71408925-234436540)
    chs: (1023/254/63)-(1023/254/63)d (4445/0/1)-(14592/254/59)r

    Primary partition(3)
    type: 000(0x00)(unused)
    size: 0mb #s(0) s(0-0)
    chs: (0/0/0)-(0/0/0)d (0/0/0)-(0/0/0)r

    Primary partition(4)
    type: 000(0x00)(unused)
    size: 0mb #s(0) s(0-0)
    chs: (0/0/0)-(0/0/0)d (0/0/0)-(0/0/0)r

    3. Se deu algo como a resposta anterior, agora o passo de gravar estes resultados
    validos com: gpart -W /dev/sdb /dev/sdb
    4. claudio@goedel:~$ dmesg | grep sdb
    confira algo como sdb: unknown partition table antes e
    agora: sdb: sdb1 sdb2
    5. Monte a partiçao desejada em algum lugar:
    /dev/sdb2 /media/sdb2 auto rw,users,auto,exec,umask=000 0 0
    o tipo de arquivo deve ser auto …

    Enfim, sempre tenha back-up para nao ter que passar 5 horas procurando uma soluçao.

    Partição NTFS no Linux – Erro de Leitura

    Tenho meus back-ups numa partição NTFS, em um HD-portátil. Algo que dá versatilidade no sentido de que há muitas máquinas com o sistema da Microsoft. Este é um HD-EXTERNO via USB, e plugo-o em qualquer OS.
    Claro que um belo dia, voce tem que passar um scandisk e um defrag via Windows. O detalhe é quem para que só usa Linux, isto fica difícil. Logo, segue a dica para aqueles que passaram um sufoco com erro de leitura na partição NTFS. A dica veio do
    http://ubuntuforum-br.org/index.php?topic=39495.0.

    Basicamente, como su, faça:

    1. apt-get install ntfsprogs
    2. ntfsfix /dev/sda3
    3. ntfs-3g /dev/sda3 /media/sda3/ -o force
    (aqui nem precisa mais da opção force)

    No meu fstab tem um linha do tipo:
    /dev/sda3 /media/ext_3 ntfs-3g rw,users,auto,exec,umask=000 0 0

    O detalhe está no pacote: ntfsprogs (obrigado aos programadores deste pacote). Tudo funcionou 100%.

    Mais sobre artigos e experimentos

    Este post complementa as questões sobre como escrever um artigo e fazer
    experimentos com programas de computador (dirigido a comunidade de informática e computação):

    1. Procure editar em LaTeX um texto científico. Se não der, siga
    para um padrão aberto: NBR 26300 ou ISO 26300. Isto é: formatos
    .odt, .ods, .odp etc … do openoffice. Free de verdade, multiplataforma, etc.

    2. Entregue em duas páginas/folha as versões draft (rascunho)

    3. Um artigo tem uma estrutura. Siga esta estrutura o mais
    próximo possível … pois metodologicamente está demonstrado que ela funciona. Não é o momento de inventar muito, e sim cumprir as seções lá
    previstas. No máximo inclua itens novos e remova as redundâncias.

    4. Remova os futurismos. Ex: …. isto será apresentado … troque por: …. isto é apresentado … Ou o resultado está no artigo, ou em outro lugar, logo
    cite tal referência.

    5. Referências são bem-vindas. Adicionalmente, cite-as ao longo do
    texto quando pertinente. Nenhuma afirmação forte pode ser deixada sem uma referência forte.

    6. Palavras em inglês é em itálico ou enfatizado mesmo, sem aspas.

    7. Verifique a sequência sugerida de uma artigo se é adequada
    ao seu trabalho. Uma adaptação é possível e flexível… mas os tópicos
    lá citados são mandatórios (obrigatórios)

    8. Código fonte, apenas se forem exigidos, senão cite o link de onde estes se encontram para download.

    9. Nada de achismos para resultados. Ai reside a maior falha
    da maioria dos trabalhos que encontro. Como o número de experimentos e a sua diversividade é em geral baixa, os achismos imperam no texto. Ou seja, estresse
    na quantidade de experimentos, não apenas os casos óbvios e esperado.
    A presença destes, não exime a necessidade de outros que seu modelo eventulamente não funcione.

    10. Para evitar no texto algo como: o valor é rápido, ou a resposta é lenta, ou demorou muito….voce deve fazer muitos (dezenas, centenas, milhares e milhões se for o caso) experimentos, leia-se número de instâncias, e sob diversas formatações, leia-se variações para dar
    consistência ao seu software. Ou seja, o experimento deve ser testado segundo regras da Engenharia de Software. Veja o capítulo de Testes.

    11. Além de diversas instâncias, de tamanho diferentes.

    12. As saídas devem ser auto-explicativas. Logo, os printf’s são bem-vindos ao se mostrar resultados da experimentação.
    Assim, ao desenvolver o software, um printf auto-descritivo, vai fazer voce entender mais rapidamente o problema.

    13. Enfim, verifique se tudo está claro nos detalhes. Na dúvida: especifique tudo para dar luz ao leitor leigo
    e assegurar que um leitor da área, vá entender que voce entendeu!

    Gravando e apagando arquivos .iso em Cds e DVDs

    Talvez o incoveniente do Linux é que há muitas maneiras de fazer uma única coisa. Gravar um CD ou um DVD é uma delas. Assim, segue algo que dispende sempre de tempo até achar o comando certo e as opções. Gravar uma imagem .iso de um diretorio para cdrom com lenny-debian:

    # cdrecord -v dev=/dev/scd0 blank=fast
    (utilizei este comando para apagar um CD-RW regravàvel; unidade scd0)
    # cdrecord -v dev=/dev/sr0 blank=fast (algumas distros, o cdrom estah em sr0)
    Atencao: o CDROM deve estar desmontado !!!


    # cdrecord -v speed=4 -eject dev=0,0,0 -data debian-502-i386-xfce+lxde-CD-1.iso -dev=/dev/hdc
    # cdrecord -v speed=8 -eject dev=0,0,0 -data debian-testing-i386-CD-1.iso -dev=/dev/scd0
    # cdrecord -v speed=8 -eject dev=0,0,0 -data disto.iso -dev=/dev/sr0

    Os comandos estao em negrito …. tenho usado muito recentemente.

    Se quiseres extrair músicas ou ripar (na gíria), use
    o cdparanoia … em um diretório temp ou corrente:
    $ cdparanoia -B
    Ou melhor ainda, especificando o driver do CD corrente, no caso é o hdd
    $ cdparanoia -B -d /dev/hdd
    (o meu leitor de CD é o /dev/hdd)

    Isto irá extrair todas as faixas do Cd para o diretório corrente, salvando-as como track01.cdda.wav, track02.cdda.wav, etc. Você também pode extrair uma única faixa, já salvando-a com o nome desejado usando:

    $ cdparanoia 2 faixa.wav

    Agora voce pode gravar musicas com a extensão .wav de um diretorio para o gravador que está em /dev/hdc:
    # cdrecord -v speed=4 -eject dev=0,0,0 -data * -dev=/dev/hdc
    ou
    # cdrecord -v speed=4 -eject dev=0,0,0 -data *.wav -dev=/dev/hdc
    (o meu gravador é o /dev/hdc)

    Tudo isto sob o Debian!

    Creio que todos parâmetros são auto-explicativos. Dúvidas cdrrecord –help e cdparanoia –help. Basicamente se faz tudo com eles.
    u

    Eclipse e Prolog – Tutorial

    Um tutorial sobre Prolog e Eclipse (uma ferramenta para Programação em Lógica por Restrições).

    Sempre procuro manter uma versão atualizada em :

    http://www2.joinville.udesc.br/~coca/cursos/ic/material_de_prolog/slides_curso_prolog.pdf

    http://www2.joinville.udesc.br/~coca/cursos/ic/material_de_prolog/slides_curso_prolog.pdf

    Agradeço os comentários de retorno, com sugestões e possíveis deslizes.

    Envie um  retorno….

    cc

    por Claudio Cesar de Sá Postado em Prolog

    Cartão de Visita em LaTeX

    Tive uma necessidade, procurei e achei: Cartão de Visita em LaTeX

    Segue um exemplo que customizei rapidamente. Assim que tiver uma versão 100%, substituo esta:

    % =========================================================================
    % File Name: c.tex
    % Last Modification Date: %G% %U%
    % Current Version: %M% %I%
    % File Creation Date: Sat Apr 20 22:52:24 1996
    % Author: Jan Erik Odegard <odegard@ece.rice.edu>
    %
    % Copyright: All software, documentation, and related files in this
    % distribution are Copyright (c) 1996 Rice University
    % =========================================================================
    \documentclass[letterpaper,11pt]{article}
    \usepackage[dvips]{graphicx}
    \usepackage{latexsym}
    \usepackage{url}
    \usepackage[ansinew]{inputenc}
    %\usepackage{times}
    \pagestyle{empty}
    \setlength{\textwidth}{7in}
    \setlength{\hoffset}{0in}
    \setlength{\voffset}{0in}
    \setlength{\oddsidemargin}{-1.5in}
    \setlength{\evensidemargin}{-1.5in}
    \setlength{\textheight}{10in}
    \setlength{\topmargin}{-1.00in}
    %\setpapersize{USletter}
    %\setmargins{0.75in}{0.5in}{7in}{10in}{0pt}{0mm}{0pt}{0mm}
    %\newcommand{\clogo}{\includegraphics[scale=0.4]{rice-logo.ps}}
    %\newcommand{\clogo}{}
    %\newcommand{\clogo}{\includegraphics[scale=0.2]{/media/disk/principal/figs_genericas/logo2_coca_icone.eps}}
    %\newcommand{\clogo}{\includegraphics[height=4cm,width=0.9cm]{/media/disk/principal/figs_genericas/mobius_strip_small.eps}}
    %%\newcommand{\clogo}{\includegraphics[height=3cm,width=1cm]{/media/disk/principal/figs_genericas/logo2_coca_icone.eps}}
    %\newcommand{\clogo}{}
    %% mobius_strip_small.eps
    \newcommand{\clogo}{\includegraphics[height=4cm,width=1cm]{/home/claudio/hd_externo/figs_genericas/mobius_strip_small.eps}}

    % EDIT THE FOLLOWING VARIABLES
    %
    \newcommand{\cname}{Claudio Cesar de Sá}
    \newcommand{\ctitlea}{Grupo de Software Livre — Colméia} % Executive Director and Research}
    \newcommand{\ctitleb}{Grupo de Computação Cognitiva Aplicada} % Dept of Electrical and Computer}
    \newcommand{\ctitlec}{} % Engineering}
    \newcommand{\cadra}{Universidade do Estado Santa Catarina – UDESC}
    \newcommand{\cadrb}{Departamento de Ciência da Computação – DCC}
    \newcommand{\cadrc}{Campus Universitário Prof. Avelino Marcante s/n}
    %% — Bloco F — 2o. Andar}
    \newcommand{\cadrd}{89.223-100 — Joinville — SC — Brasil}
    \newcommand{\cphone}{(47) 9147-0017 e (47) 4009-7987}
    %\newcommand{\cfax}{713-524-5237}
    \newcommand{\cemail}{claudio@\{joinville$\mid$colmeia\}.udesc.br}
    %\newcommand{\outro}{claudio@colmeia.udesc.br}
    %\newcommand{\cemail}{claudio@joinville.udesc.br}
    \newcommand{\curlb}{\url{http://www.joinville.udesc.br/coca}}
    %\newcommand{\curlb}{http:$/\!/$www-dsp.rice.edu/}
    %\newcommand{\curlb}{http:$/\!/$www-ece.rice.edu/}
    \begin{document}
    \setlength{\unitlength}{1mm}
    \begin{picture}(178,253)(-7,-1)
    \multiput(0,0)(0,50.6){5}{%
    \multiput(0,0)(89,0){2}{
    \begin{picture}(89,51)(0,0)
    %\put(0,52){\line(0,1){3}}
    %\put(-1,51){\line(-1,0){3}}
    %\put(89,52){\line(0,1){3}}
    %\put(90,51){\line(1,0){3}}
    %\put(3,48){\line(1,0){83}}
    \put(31,42){\large\cname}
    \put(31,39){\textsc{\scriptsize\ctitlea}}
    \put(31,36){\textsc{\scriptsize\ctitleb}}
    % \put(31,33){\textsc{\scriptsize\ctitlec}}
    \put(31,27){\scriptsize \cadra}
    \put(31,24){\scriptsize \cadrb}
    \put(31,21){\scriptsize \cadrc}
    \put(31,18){\scriptsize \cadrd}

    \put(31,13){\textsc{\scriptsize e-mails:}}
    \put(45,13){\scriptsize \cemail}
    % \put(56,13){\scriptsize \outro}
    \put(31,10){\textsc{\scriptsize fone:}}
    \put(45,10){\scriptsize \cphone}
    \put(31,7){\textsc{\scriptsize url:}}
    \put(45,7){\scriptsize \curlb}
    \put(20,7){\clogo}
    % \put(5,8){\textsc{\scriptsize Phone:}}
    % \put(15,8){\scriptsize \cphone}
    % \put(5,5){\textsc{\scriptsize Fax:}}
    % \put(15,5){\scriptsize \cfax}
    %\put(3,3){\line(1,0){83}}
    %\put(0,-1){\line(0,-1){3}}
    %\put(-1,0){\line(-1,0){3}}
    %\put(89,-1){\line(0,-1){3}}
    %\put(90,0){\line(1,0){3}}
    \end{picture}}}
    \end{picture}
    \end{document}